quinta-feira, 19 de outubro de 2017

30 curiosidades sobre as bruxas que provavelmente não sabia



Na antiguidade, pessoas que fossem hereges, possuíssem tatuagens, marcas ou até comercializassem remédios e medicamentos naturais eram motivos suficientes para serem consideradas bruxas ou feiticeiros e serem queimados vivos na fogueira. A perseguição às bruxas foi algo que aconteceu durante vários anos na história e a Inquisição era a principal 'polícia' para esse efeito. Várias pessoas foram mortas sem motivo aparente.

Bruxas existem?

Segundo os historiadores, as bruxas nunca existiram e muitas das pessoas que foram queimadas na fogueira nem se quer tinham vínculos ligados a religiões pagãs ou demônios. Os supostos bruxos/as eram hereges, ou seja, não seguiam o catolicismo.
Elfandarilha
© Shutterstock

Contra a bruxa

Em 1484, o Papa Inocêncio VIII emitiu uma bula papal intitulada 'Summis desiderantes affectibus', onde reconhecia a existência das bruxas no mundo.
Elfandarilha
© All rights reserved / Wikimedia

Perseguições

Ao contrário do que se possa pensar, a maior parte das perseguições às bruxas não ocorreu durante a Idade Média, mas no início da Idade Moderna, isto é, no final do século XIV até ao início do século XVIII.
elfandarilha
© Shutterstock

Queimadas na fogueira

Muitas pessoas inocentes foram condenadas à fogueira por serem acusadas de ser diferentes e de possuírem características de bruxa (verrugas, tatuagens ou marcas) eram alguns dos sinais. Calculam-se que foram entre 40 mil a 50 mil pessoas que morreram queimadas.
elfandarilha
© All rights reserved / Wikimedia

Bruxas e o fogo

Alguns historiadores, no entanto, sugerem que esse número tenha passado os 200 mil, o que pode significar que muitas das bruxas que foram queimadas nem se quer foi em praça pública.
elfandarilha
© Shutterstock

Julgamentos

O primeiro julgamento coletivo de pessoas acusadas de bruxaria aconteceu no ano de 1428 na cidade suíça de Valais.
elfandarilha
© All rights reserved / Wikimedia

Julgamentos 

Ocorreram diversas perseguições e caça às bruxas, a mais conhecida foi na cidade norte-americana de Salem. Na ocasião, mais de 150 pessoas foram presas, julgadas e condenadas à forca depois que algumas crianças alegaram terem sido enfeitiçadas.
elfandarilha
© Shutterstock

Polônia

A última condenação à fogueira por bruxaria aconteceu na Polônia no ano de 1793. No entanto, em algumas culturas a bruxa ainda é um tema que não desapareceu completamente.
elfandarilha
© Shutterstock

Livro anti-bruxas

Em 1487 foi publico o livro 'O Martelo das Feiticeiras' que serviu durante muito tempo como manual contra as bruxas.
elfandarilha
© All rights reserved / Wikimedia

Religião

Este manual foi publicado pelos dominicanos Heinrich Kraemer e James Sprenger como cumprimento da bula Papal de Inocêncio VIII. Além disso, o livro era lido por católicos e protestantes.
elfandarilha
© Shutterstock

Bruxas malignas

Segundo os seus autores, as bruxas tinham o poder de sequestrar e esquartejar crianças, participar de rituais de canibalismo.
elfandarilha
© Shutterstock

Maldições

Além disso, também se acreditava que as bruxas tinham o poder de transformar pessoas em sapos ou em cobras, evocar o demônio e lançar maldições e pragas só com um olhar.
elfandarilha
© Shutterstock

Superstições

A história das maldições das bruxas era levada tão a sério que os gatos pretos chegavam a ser mortos por serem suspeitos de ser bruxas transformadas.
elfandarilha
© Shutterstock

Perfil das bruxas

O perfil de boa parte das vítimas eram mulheres camponesas que moravam sozinhas (muitas vezes à beira de estradas) e que ganhavam a vida a vender produtos e remédios caseiros.
elfandarilha
© Shutterstock

Bruxas médicas

Algumas 'bruxas' tinham prestígio nas suas comunidades, uma vez que faziam poções e medicamentos à base de ervas que eram vendidos à população como remédios contra doenças, mau olhado, ou outros males.
elfandarilha
© Shutterstock

Mulheres sábias

Além disso, as consideradas bruxas na época, também ganhavam dinheiro como terapeutas e parteiras e, em muitas comunidades, eram chamadas de mulheres sábias.
elfandarilha
© Shutterstock

Plantas medicinais

Com o passar do tempo, foi provado que grande parte das ervas usadas pelas bruxas tinham realmente poderes medicinais, como é o caso da salvia esclareia, planta que contém substâncias que ajudam a aliviar as cólicas.
elfandarilha
© All rights reserved / Wikimedia

Inquisição

Ao contrário do que é normalmente dito, a tortura nunca foi usada em grande escala pela Inquisição. Mas é sabido que centenas de pessoas foram cruelmente torturadas para confessarem e revelarem ser hereges à 'força'.
elfandarilha
© All rights reserved / Wikimedia

Marcas

Os inquisidores também costumavam despir as pessoas que eram acusadas de bruxaria para ver se encontravam tatuagens, verrugas ou marcas que indicassem que essas pessoas tinham ligação com o demônio.
elfandarilha
© Shutterstock

Origens

O dia das bruxas, mais conhecido por Halloween tem origem em antigas celebrações celtas. A data coincide com o início do Samhain, uma comemoração que marcava o início do ano novo celta. O período era também associado aos mortos.
elfandarilha
© All rights reserved / Wikimedia

Comemoração

O Halloween é festejado já em vários países sendo os principais, o Reino Unido, Irlanda, Canadá e Estados Unidos.
elfandarilha
© Shutterstock

Abóbora

A abóbora mais pesada do mundo cresceu em um jardim suíço e tem 950 quilos, revelou o site da 'NBCNews'. Recorde-se que a abóbora é um símbolo associado às bruxas.
Elfandarilha
© Shutterstock

Bruxas boas

Apesar da imagem de uma bruxa estar associada a uma mulher de idade, mal vestida, toda de preto e montada numa vassoura, outras bruxas eram consideradas boas e de magia branca, porque usavam o 'poder' para curar doenças e resolver problemas de casais.
Elfandarilha
© Shutterstock

Culpados

As pessoas poderiam ser condenadas por bruxaria, sem qualquer tipo de evidência sólida. O fato de uma pessoa aparecer no sonho de outra pessoa poderia ser o suficiente para ser acusada de tentar invadir a mente da outra pessoa e desvia-la da religião.
Elfandarilha
© Twitter / domenicosarett

Palavra

A palavra 'witch' não se sabe de onde surgiu e é por isso de ordem indeterminada. A origem mais próxima é a palavra Inglês wicce, que significa 'feiticeira feminina'.
elfandarilha
© Twitter / Fokusp

Irlanda

Acredita-se que a comemoração do Halloween surgiu na Irlanda há 4000 D.C.
elfandarilha
© Shutterstock

Estados Unidos

Logo atrás de Natal, o Halloween é o segundo feriado mais comercial nos EUA, sendo que os norte-americanos gastam biliões de dólares durante esta data, em doces, máscaras, fantasias e festas.
elfandarilha
© Shutterstock

Bruxa da meia noite

Segundo a tradição, a forma de encontrar uma bruxa é usar suas roupas ao contrário e andar de trás para a frente no Halloween. Fazendo este 'ritual' é possível ver uma bruxa à meia noite.
elfandarilha
© Shutterstock

Inocentes

Joana d'Arc (1412 - 1431) é uma heroína francesa e uma santa da igreja católica. Com apenas 19 anos foi queimada viva em praça pública enquanto o povo a chamava de bruxa, mentirosa e blasfema. Em 1456, foi considerada inocente pelo Papa Calisto III.
elfandarilha
© All rights reserved / Wikimedia

Bruxos e bruxas

Apesar de a figura de 'bruxa' estar associada principalmente às mulheres, a verdade é que homens e mulheres foram igualmente perseguidos por bruxaria em toda a história.
elfandarilha
© Shutterstock

Fonte: StarsInsider/MSN

"As bruxas em geral são assim. Não estão jamais interessadas nas coisas ou nas pessoas, mas na utilidade eventual destas!" - As Crônicas de Nárnia -